Informação profissional do setor das instalações em Portugal

A domótica aplicada à poupança de energia e água numa casa

Selectra Portugal09/12/2021

O elevado consumo de energia de uma casa não só representa um gasto significativo para a economia familiar, como também tem um impacto muito negativo no meio ambiente, devido às emissões de CO2 e à contaminação que produz.

foto

Ser consciente do que cada eletrodoméstico ou dispositivo consome ao nível doméstico é uma grande vantagem, já que podemos detetar facilmente possíveis avarias elétricas ou consumos excessivos, podendo corrigi-los e reduzir o consumo geral. Uma das formas desenvolvidas para controlar o consumo e o funcionamento de eletrodomésticos e os sistemas de uma casa é a domótica. Graças a este tipo de sistemas inteligentes, podemos reduzir o consumo de energia da nossa casa. Além disso, também ajudam na poupança de água.

Quanto e como o consumo de energia é repartido nas casas?

Os dados médios podem variar e têm como fatores o seguinte:

  • O tipo de casa: o consumo de uma moradia unifamiliar isolada não é o mesmo que uma casa num bloco de apartamentos.
  • O tipo de clima onde se encontra: em zonas com climas extremos, tanto no verão como no inverno, o consumo de energia com os sistemas de climatização é muito superior.

Desta forma, podemos dividir o consumo energético de uma casa da seguinte forma:

  • Aquecimento e ar condicionado (mais de 50% do consumo familiar)
  • Água quente
  • Cozinha
  • Eletrodomésticos
  • Iluminação.

Mas afinal, o que é a domótica e para que serve?

A domótica consiste num sistema de gestão integrado, que controla o funcionamento dos equipamentos, instalações e de outros dispositivos de um imóvel. O seu principal objetivo é otimizar o seu funcionamento levando em consideração diversos fatores ou parâmetros. Graças à domótica, que funciona com um acesso à internet fixa ou móvel, tornamos os sistemas e dispositivos mais eficientes em termos de energéticos e para que consumam menos. Uma casa inteligente pode consumir entre 25% e 40% menos do que uma casa tradicional.

Esta redução no consumo de energia não decorre apenas da capacidade do sistema de controlar os aparelhos, mas também do fato de o sistema nos permitir saber onde é que se consome e gasta mais energia. Sem saber onde se consome mais energia, é muito difícil reduzir o consumo e poupar nas contas de energia.

Graças a um dispositivo de controlo (que pode ser um smartphone, um tablet ou um computador) podemos controlar todo o sistema domótico e, portanto, todos os sistemas e dispositivos conectados a esse sistema.

Um sistema de domótica não só nos permite controlar o funcionamento das coisas, mas o mesmo sistema é capaz de controlar os diferentes sistemas com base em parâmetros como a temperatura exterior, a hora do dia, a presença dos utilizadores.

Os benefícios são vários, já que contribui para a poupança no consumo de energia, eletricidade e outros combustíveis, e ainda no consumo de água, reduzindo a despesa familiar, por um lado, e o impacto negativo no meio ambiente para outro.

A domótica consiste num sistema de gestão integrado, que controla o funcionamento dos equipamentos, instalações e de outros dispositivos de um imóvel. O seu principal objetivo é otimizar o seu funcionamento levando em consideração diversos fatores ou parâmetros

Aplicações da domótica na poupança energética

Apesar de hoje em dia quase todos os sistemas e eletrodomésticos de uma casa possam ser controlados, a verdade é que existem três sistemas domésticos em que a domótica permite maior poupança:

Ar condicionado: o ar condicionado de casa é responsável por 40% do consumo de energia. Uma das revoluções da domótica nesse sentido são os termostatos inteligentes que permitem programar e controlar o funcionamento do próprio ar condicionado. Além disso, estes sistemas não só podem ser controlados remotamente mas, como já referimos, são capazes de se adaptar a fatores externos como a temperatura exterior, a hora do dia ou a pessoa que entra numa determinada divisão da casa.

Iluminação: a iluminação é responsável por 25% do consumo de eletricidade. Não se trata apenas de controlar o ligar ou desligar remotamente, mas sim de sistemas que funcionam de forma autónoma graças a sensores de presença ou que ligam ou desligam a luz consoante a hora do dia e a quantidade de luz natural existente.

Eletrodomésticos: correspondem a cerca de 15% da conta de luz. Estes tipos de aparelhos inteligentes não apenas reduzem o consumo, mas são muito mais práticos para o utilizador. Uma das formas de poupar com este tipo de eletrodomésticos são, por exemplo, as máquinas de lavar roupa e de louça inteligentes que podem iniciar o seu processo de lavagem de forma autónoma quando a eletricidade é mais barata. Além disso, continua a ser importante a eleição de eletrodomésticos com a etiqueta energética A.

Chillventa: International Exhibition Refrigeration. Nuremberg 11 -13.10.2022Um futuro mais verde faz parte da VulcanoBosch: o ar condicionado perfeito todos? é simples. É BoschConcreta Arquitetura Construçao Desenho Engenharia 13 - 16 outubro 2022Keyter: HVAC&R SolutionsSegurex 11 - 13  cout 2022 Salão internacional de protecção, segurança e defesaCEES 27 - 30 june 2023 Funchal / Portugal International Conference

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

www.oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial