Disterm: ar condicionado, bombas de calor, ventiloconvetores
Informação profissional do setor das instalações em Portugal

O ABC da Aerotermia

Marta Tomás | Diretora de Energias Renováveis da Eurofred

17/01/2022

Num contexto de emergência climática como o atual é fundamental avançar para um setor residencial mais ecológico e sustentável. A tecnologia tem aqui um papel fundamental, uma vez que pode ajudar a reduzir as emissões de CO2 das nossas casas, independentemente do tipo.

foto

Pelas suas caraterísticas, a Aerotermia é uma dessas tecnologias que está a contribuir para criar o mundo verde e limpo que desejamos. Para dar um exemplo, existem estudos que mostram que este tipo de sistemas geram uma quarta parte das emissões de CO2 que os elétricos, a metade que os baseados em gasóleo e 10% menos que os que usam gás.

O que é a Aerotermia?

A Aerotermia é uma tecnologia que aproveita a energia armazenada no ar em forma de calor para refrigerar os espaços no verão, aquecê-los nos meses de inverno e oferecer água quente sanitária (AQS) durante todo o ano.

O seu funcionamento é o seguinte: a unidade exterior absorve o ar e recupera a energia existente, comprime essa mesma energia e transfere-a para a unidade interior, que é responsável por a disponibilizar ao circuito de climatização da habitação. Este processo pode realizar-se, inclusive, em condições climáticas severas, já que os sistemas estão pensados para oferecer o seu máximo rendimento, tanto no inverno como no verão.

Quais são as vantagens da Aerotermia?

A Aerotermia tem múltiplas vantagens. Para começar é o aquecimento mais barato, porque é extremadamente eficiente e permite que toda a habitação funcione exclusivamente com eletricidade, sem necessidade de contratar gás ou outros combustíveis. Estamos a falar que, a nível individual, permite economizar mais de 80% do custo energético em aquecimento ou água quente. Sendo mais concreto, estima-se que, no caso de uma casa de 100 m2, uma família poderá economizar entre 150 e 500€ ao ano. E, em relação ao custo de investimento inicial, apesar de depender do tipo de espaço e das necessidades de cada utilizador, o mesmo poderá amortizar-se em, aproximadamente, cinco anos.

Além disso, a Aerotermia pode agregar-se a outras energias renováveis que trazem benefícios adicionais. Por exemplo, combinando-a com energia fotovoltaica, a Aerotermia deixará de consumir a pouca energia que necessita da rede e passará a utilizar a energia produzida pelos painéis fotovoltaicos, que se traduzirá num consumo mínimo de eletricidade.

foto

Por outro lado, a Aerotermia é mais segura para os utilizadores, uma vez que, como energia limpa que é, não gera substâncias nocivas nem contaminantes nem produz combustão. Também é 100% silenciosa, muito fácil de instalar, quase não necessita de manutenção e ocupa muito pouco espaço. De facto, a unidade interior tem um tamanho similar ao de uma caldeira tradicional e, como não necessita de chaminé, pode colocar-se em qualquer armário. Não esquecer que se trata de uma tecnologia modular e escalável que pode configurar-se para se adaptar perfeitamente às necessidades de cada espaço.

Porque é que é uma tendência?

Nos últimos anos, a Aerotermia ganhou muito espaço no mercado, tanto em novas instalações como em projetos de reabilitação. A escalabilidade referida anteriormente é um dos motivos, já que permite adaptar os sistemas a todo tipo de edifícios e instalações – desde habitações unifamiliares, até condomínios, espaços comerciais, escritórios ou escolas.

No entanto, a grande alavanca é a sua sustentabilidade. Como referido, a Aerotermia é uma energia limpa e renovável que tem um impacto no meio ambiente muito menor que as alternativas tradicionais. Isto ajuda muito a cumprir as exigências de eficiência energética definidas pela legislação e obter uma boa classificação na etiqueta energética do habitat ou edifício.

Por tudo isto, a Aerotermia é uma das tecnologias renováveis a estar atento. Tudo indica que a sua adoção irá continuar a crescer, tanto em projetos novos como na reabilitação de imóveis antigos. Economizar na fatura da luz ao mesmo tempo que contribuímos para diminuir as alterações climáticas são dois argumentos de peso a seu favor.

Saiba mais aqui

Fujitsu ar condiionado mámixo siléncio mínimo consumoAdene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+Smart Home show de 25 a 27 2022Esdec: o fornecedor de estruturas de fixação para fotovoltaicoAssociação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar CondicionadoJaba: tradução 4.0

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

www.oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial