Disterm: ar condicionado, bombas de calor, ventiloconvetores
Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Artigo excusivo para a Revista O Instalador no âmbito da parceria com a RNAE

Um Porto de mobilidade elétrica

AdEPORTO - Agência de Energia do Porto25/06/2021
O Porto tem uma aposta clara e consequente no âmbito da descarbonização, ancorada na sua estratégia municipal de mitigação e adaptação às alterações climáticas.
foto
Foto: Miguel Nogueira/CMPorto.

Uma das vertentes desta estratégia assenta na descarbonização dos transportes, nomeadamente no que diz respeito à frota municipal de veículos ligeiros, mas também à frota de veículos pesados. Estrategicamente, a Câmara Municipal do Porto tem pretendido liderar pelo exemplo, pondo em prática a sua política de descarbonização e inspirando os demais, sejam os munícipes da cidade, sejam outras instituições de índole pública ou privada a fazerem o mesmo.

Em relação à frota de veículos ligeiros, o caminho delineado e seguido foi disruptivo, abandonando o paradigma de renting de carros com motores térmicos para instituir uma verdadeira transição para um paradigma assente na mobilidade elétrica, adotando o renting de veículos elétricos, apostando na crescente eletrificação e descarbonização da sua frota.

O caminho rumo à mobilidade elétrica começou em 2015 com uma análise exaustiva do mercado e testes de viaturas em diversos serviços municipais, entre os quais o Ambiente, a Polícia Municipal e a Mobilidade, por forma a validar esta nova tipologia de veículos, tendo-se procedido à renovação integral da frota em 2017 com 70% de eletrificação.

Durante esse período de teste foi fundamental perceber a real adaptação das equipas aos novos veículos, ao novo tipo de 'abastecimento', bem como vencer alguma desconfiança e resistência à mudança ainda existente face à novidade. Durante este período, foi analisado o histórico de dados de vários anos referentes à frota até então existente por forma a assegurar uma transição consistente e coerente que nunca pusesse em causa a eficiência dos serviços e que pudesse suportar devidamente a decisão sobre a quantidade e a tipologia dos veículos a selecionar, nomeadamente compreender quantos e quais poderiam ser 100% elétricos ou híbridos plug-in face às necessidades de utilização.

Um dos grandes desafios associados à mobilidade elétrica prendeu-se com a garantia da infraestrutura de carregamento elétrico de veículos: uma frota de ligeiros pioneira desta dimensão exigiu uma infraestrutura de grandes dimensões que se caraterizou por um elevado número de carregadores e uma forte concentração dos mesmos em determinados locais. Este exercício foi bem-sucedido, tendo sido garantido, nos pontos mais críticos, um sistema de balanceamento de carga robusto e capaz de fazer face às necessidades.

Destaca-se a existência de 315 pontos de carregamento distintos, dispersos por 19 locais no município do Porto. Pela sua maior concentração, destacam-se os 68 pontos de carregamento nas instalações da Águas do Porto, EM; os 60 nas Oficinas Gerais da CMP e ainda os 45 no Parque de Estacionamento da Trindade.

À transição energética aliou-se uma componente de digitalização, com a aquisição de uma solução integrada de monitorização da frota que combina a aquisição permanente de dados das viaturas com uma plataforma de gestão da informação recolhida. Desta forma, é possível hoje ter acesso aos dados da frota elétrica do município em tempo real, proceder à monitorização e controlo de carregadores e de carregamentos elétricos, bem como registar todas as viagens efetuadas tendo em vista operações presentes e futuras de gestão de frota.

Desde 2020 que o município do Porto alterou a sua política de aquisição de energia, fazendo com que toda a energia consumida nos edifícios, escolas, museus, piscinas e mesmo na iluminação pública seja de origem renovável. Quer isto dizer que todos os veículos elétricos municipais circulam na cidade abastecidos com energia 100% renovável, reduzindo também assim o impacto que poderiam ter a montante. Adicionalmente, o Município tem em curso diversos projetos de instalação de painéis solares em edifícios municipais, tendo em vista a produção de energia para autoconsumo. Dentro desta visão, o futuro próximo reserva uma articulação ainda mais relevante de sinergias, produzindo localmente energia 100% limpa que servirá para carregar veículos elétricos e com isso dar mais um passo seguro rumo a uma maior sustentabilidade.

Até ao momento, mais de 5 milhões de Kms foram percorridos com os veículos da frota do universo municipal, todos sem poluir, com zero emissões de gases realizadas, gases prejudiciais esses que colocam em causa a saúde de todos. Esta só pode ser uma constatação positiva, garantindo que a Câmara Municipal do Porto presta os serviços da forma que os munícipes esperam numa época em que Sustentabilidade é palavra de ordem.

De momento, está já a ser trabalhada a renovação do contrato de renting que contempla uma análise sobre os dados coletados e reforça a importância da tomada de decisão baseada nos dados que o Porto tem vindo a defender. Desta forma, será possível ir mais longe em matéria de eletrificação e aproveitar as novas soluções do mercado que em 2016 ainda não existiam, propiciando um futuro mais verde e uma aposta ainda maior na qualidade de vida que o Porto quer propiciar aos seus cidadãos.

foto
Smart Home show de 25 a 27 2022Jaba: tradução 4.0Esdec: o fornecedor de estruturas de fixação para fotovoltaicoFujitsu ar condiionado mámixo siléncio mínimo consumoAdene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+Associação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar Condicionado

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

www.oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial