Grupo Midea SGT: XTREME SAVE ultra popança de energia
Informação profissional do setor das instalações em Portugal
Dados extraídos no último boletim da ERSE

Endesa ganha quota em Portugal e já lidera no fornecimento às empresas

O Instalador10/09/2020
Endesa ganhou clientes entre as famílias tanto na eletricidade como no gás natural.
foto

A Endesa continua a aumentar as suas quotas de mercado em Portugal. De acordo com os dados do último boletim mensal da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), sobre o Mercado Liberalizado de Eletricidade, a Endesa lidera o segmento empresarial (B2B) em Portugal, somando as quotas de mercado dos Grandes Consumidores, Consumidores Industriais e Pequenos Negócios.

De acordo com Miguel Mendes, Diretor B2B da Endesa Portugal, “no setor da eletricidade, tal como acontece em Espanha, o objetivo é consolidar a nossa posição de líder natural no mercado empresarial português. Neste momento temos uma quota no segmento empresarial de aproximadamente 22,4%, com o objetivo de crescer em número de clientes em todos os segmentos, com especial enfoque no segmento de menor consumo e também no setor público administrativo. No caso da comercialização do gás natural, a Endesa está também presente no setor empresarial (B2B) com uma quota de 12,8% nos grandes clientes e com o objetivo de manter o segundo lugar no mercado português de gás natural”.

Os mesmos dados revelam que no segmento residencial, a Endesa é a comercializadora que maior número de clientes captou, desde janeiro, tanto em eletricidade como no gás natural.

Para Inés Roque, Diretora B2C da Endesa Portugal, “o sucesso e desenvolvimento da comercializadora em Portugal é muito relevante. A Endesa, no segmento residencial é a empresa que maior número de clientes captou, quando outras comercializadoras como a Iberdrola e EDP perderam carteira de clientes. Em breve, atingiremos os 500.000 clientes. A nossa estratégia baseia-se na transparência, a digitalização e a inovação”.

Ao mesmo tempo, segundo o último Relatório mensal da ERSE sobre o Mercado Liberalizado de Eletricidade, o número de consumidores cresceu 2,4% em julho, face ao mesmo mês de 2019, e atingiu os 5,3 milhões de clientes. São ainda mais 12,1 mil do que em junho, divulgou o regulador.

No gás natural, segundo o regulador, a Endesa ocupa a segunda posição por consumo, com um 12% (aumento de quota de mercado de 0,1 pontos percentuais, quando comparado com o mês de junho). No segmento de grandes consumidores de gás natural, a Endesa registou também um aumento de quota em 0,2 pontos (12,8%), na segunda posição.

Além deste crescimento de quotas de mercado, a Endesa está também a apostar em Portugal, no reforço da sua presença na produção de energias renováveis, com especial relevo para a energia solar. Ainda recentemente a Endesa Generación Portugal - subsidiária da espanhola Endesa, do Grupo Enel-, ganhou um lote de 99 MW de potência solar no segundo leilão de energias renováveis promovido pelo Governo Português.

A central, localizada no Algarve, será desenvolvida, construída e operada pela empresa de renováveis do Grupo Enel, a Enel Green Power, e constituirá o primeiro projeto renovável com armazenamento do Grupo na Península Ibérica. Trata-se de um investimento de aproximadamente 90 milhões de euros para a construção do projeto localizado na região do Algarve, cuja operação deverá iniciar-se em 2024.

Panasonic: apenas 779 mmAdene: janelas eficientes só com etiqueta energética CLASSE+A eficiência acima de tudo. Bombas de calor para água sanitária PouNova gama de Ar CondicionadoTektónica 6 - 9 de octubroDecorHotel: Fil - Lisboa 21 a 23 Out 2021Eurofred Portugal: mínimo consumo, máximo silèncioJaba: tradução 4.0

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

www.oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial