Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Schneider Electric lança solução para a gestão do ciclo de vida das Redes do Futuro na Enlit Europe

02/12/2021
O Grupo acredita que o investimento em Redes do Futuro bidirecionais é necessário para permitir a transição energética e considera fundamental o papel dos Operadores do Sistema de Distribuição para desbloquear um futuro net zero.
foto

A Schneider Electric acredita que a eletricidade é a única energia que oferece o vetor de descarbonização mais rápido através de uma combinação entre energias renováveis e soluções baseadas em software.

As redes inteligentes bidirecionais – ou Redes do Futuro (Grids of the Future) – são a única forma de possibilitar a transição energética e ajudar o mundo a reduzir as suas emissões para metade até 2030, evitando a emissão de 10Gt de CO2 por ano e limitando o aumento da temperatura até um máximo de 1,5°C.

As Redes do Futuro possibilitam-no, permitindo que várias fontes de energia renovável descentralizada e gerada localmente combinem segurança, fiabilidade, resiliência e eficiência, ao mesmo tempo que reduzem as perdas causadas pela transmissão e distribuição de energia.

À medida que a frequência dos eventos climáticos extremos aumenta, a Schneider Electric oferece novas e inovadoras soluções de software, pensadas para permitir uma maior flexibilidade da rede a partir de energia renovável limpa e distribuída (Eletricidade 4.0); maximizar a fiabilidade e resiliência; e melhorar a eficiência operacional da gestão da rede.

A geração descentralizada é o futuro, e um relatório desenvolvido pela Schneider Electric e pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF) revela que a energia solar representa uma enorme oportunidade por explorar, com potencial para permitir que 167 milhões de casas e 23 milhões de empresas em todo o mundo gerem a sua própria energia limpa até 2050.

Estas implementações vão desbloquear grandes benefícios da descarbonização, mas a definição de políticas e taxas será fundamental para o possibilitar.

Abrir caminho para a década da eletricidade

Todos os caminhos para a descarbonização dependem dos Operadores do Sistema de Distribuição (DSOs, na sua sigla em inglês) que gerem a infraestrutura essencial para a transição energética. Só uma renovação da rede com base em dados permitirá a “revolução do prosumer (produtor-consumidor)” – a capacidade dos consumidores e empresas gerarem a sua própria energia renovável através de painéis fotovoltaicos e microgrids e venderem o excedente à rede –, com a qual todos contamos para descarbonizar os maiores emissores de CO2, como edifícios, casas e veículos pessoais.

Com o software e os serviços do EcoStruxure Grid, a Schneider Electric pretende equipar as utilities de distribuição com capacidades de recolha e gestão de dados e soluções de analítica avançadas que permitem que a digitalização acelere o trabalho árduo de descarbonização.

“Os próximos dez anos serão conhecidos como a ‘década elétrica’, que promete um futuro baixo em carbono alimentado pelo abastecimento fiável e resiliente de eletricidade renovável, limpa e inteligente, a que chamamos Eletricidade 4.0. Contudo, tal só será possível se investirmos em infraestruturas de rede inteligente bidirecionais, capazes de dar resposta à crescente procura por eletricidade limpa e assegurar um crescente abastecimento da rede com energia de geração renovável e descentralizada", afirmou Frederic Godemel, Executive Vice President for Power Systems and Services da Schneider Electric.

“Hoje em dia, os DSOs estão verdadeiramente no centro do sucesso da transição energética. Precisamos de assegurar que dispõem dos meios e incentivos necessários para investir em soluções de rede digitais. Uma renovação da rede baseada em dados irá desbloquear a revolução do prosumer que é necessária para descarbonizar a nossa economia e sociedade, e trará flexibilidade aos DSOs do ponto de vista da procura. Não apenas da rede em si, mas de tudo aquilo que ela alimenta, incluindo edifícios, indústrias e mobilidade”, acrescentou. 

Redes do Futuro – capacitadas pela digitalização e pelo software

Hoje, a Schneider Electric tem o prazer de anunciar poderosas novas capacidades que ajudam os operadores da rede a minimizar o risco de interrupções, a gerir a flexibilidade do abastecimento e da procura e a melhorar a eficiência operacional e energética.

Mitigação de Grandes Eventos: o lançamento mais recente do EcoStruxure™ ADMS da Schneider Electric oferece novos recursos aos DSOs para lidar com os efeitos mais duradouros das alterações climáticas – menor fiabilidade, maiores despesas e mais cortes de energia. Agora o EcoStruxure™ ADMS oferece mais ferramentas para melhorar o tempo de resposta a interrupções e a capacidade de antecipar incidentes e garantir proativamente uma qualidade da energia consistente através de uma maior automação da rede. Estes novos recursos preparam o sistema dos operadores para mitigar grandes eventos e manter os seus clientes e comunidades em segurança, ao mesmo tempo que asseguram a alta qualidade e fiabilidade do abastecimento de energia.

Flexibilidade da Rede e Gestão Ativa da Rede: o EcoStruxure DERMS oferece Gestão Ativa da Rede com a capacidade de identificar e coordenar limites operacionais superiores e inferiores para Recursos de Energia Distribuída (RED), de forma a permitir uma maior flexibilidade da rede. O lançamento mais recente do EcoStruxure™ DERMS da Schneider Electric analisa se a programação de produção dos RED ou os limites de exportação-importação estão de acordo com a capacidade da rede a curto prazo. O DERMS verifica a operação planeada dos RED contra os limites térmicos das secções da rede e dos transformadores, o fluxo contrário permitido e as restrições a nível de tensão (sub ou sobretensão). Se for detetada uma violação, a aplicação calcula uma nova programação dos RED ou novos limites de importação/exportação de energia, para mitigar possíveis problemas na rede e manter a sua capacidade de assegurar uma boa qualidade e serviço a todos os clientes.

Eficiência Operacional Avançada: o EcoStruxure Power Automation System oferece facilidade de manutenção para programas operacionais e de manutenção mais eficientes, recolhendo dados de manutenção preditiva e baseada em condições para aplicações baseadas na Cloud, e contando com um inventário de sistema avançado e capacidades de gestão de base.

Estas novas capacidades fazem parte do portefólio integrado e de ponta a ponta de software e de serviços da Schneider Electric que ajudam os operadores de rede a gerir o ciclo de vida desta, de forma a assegurar digitalização, otimização e automação para conseguir flexibilidade, eficiência, resiliência e mitigação de riscos.

Para além disto, a Schneider Electric ampliou recentemente a sua premiada gama de aparelhagem “verde” e digital com o RM AirSeT™, uma solução revolucionária para descarbonizar a rede e contribuir para a luta global contra as alterações climáticas, substituindo o gás com efeito de estufa SF6 por esta solução 'Grids of the Future', que utiliza ar puro e corte em vácuo.

Posicionamento único para acrescentar valor

Mais cedo este ano, a Schneider Electric completou o seu portefólio exclusivo de software de sistemas de energia elétrica com investimentos na ETAP e na OSIsoft. As suas soluções de modelação, design, simulação preditiva e operação em tempo real, agnósticas quanto ao fornecedor, permitem um design exclusivo baseado na Cloud e uma operação cibersegura dos sistemas de energia de missão crítica. Tal permite conseguir a digitalização do ciclo de vida de ponta a ponta e maiores eficiência, sustentabilidade e resiliência para um público e uma base de clientes mais amplos.

Estas soluções estão desenhadas para apoiar uma melhor integração entre energias renováveis, microgrids, células de combustível e tecnologia de armazenamento de baterias, simplificando digitalmente os sistemas complexos de missão crítica.

Empresas ou entidades relacionadas

Schneider Electric España, S.A.U.

www.oinstalador.com

O Instalador - Informação profissional do setor das instalações em Portugal

Estatuto Editorial